Milagres

Menu

Milagres

“Respondeu-lhes Jesus: “Esta geração adúltera e perversa pede um sinal, mas não lhes será dado outro sinal do que aquele do profeta Jonas: do mesmo modo como Jonas esteve três dias e três noites no ventre do peixe, assim o Filho do Homem ficará três dias e três noites no seio da terra”.

Achamos que ter fé é pedir milagres, mesmo depois daquilo que Jesus falou. Hoje o mundo está cheio de padres e pastores que prometem continuamente curas milagrosas e milagres e o pior é que acham um público crédulo e supersticioso que acredita… Eles dizem que tem reza, vela, óleo, novena, medalha poderosa, que não falham. Foi sempre uma pretensão humana manipular os poderes sobrenaturais, só que tudo isso é mentira e tapeação, porque Deus não se deixa manipular. Deus realmente pode fazer milagres quando, como e onde Ele quer, porque Ele é todo poderoso, dono do céu e da terra, mas se algum humano diz que ele tem poder de manipular Deus, ele não passa de um vigarista e um mentiroso. Quem somos nós para pretender usar Deus? Pelo contrário, eu acredito que um dos piores pecados é tapear e iludir gente simples e de boa fé. Foi a raça farisaica e sacerdotal que Jesus chamava de víboras porque diziam ao povo que tinham poder de purificar este povo com sacrifícios pagos a preço de ouro. Nada mais pernicioso do que iludir gente pobre, doente, desesperada iludindo-os com milagres que nunca acontecem, forjar falsas testemunhas e ensaiar cenas mentirosas de curas milagrosas. Pecado grava este de usar Deus para satisfazer sua ganância ou prepotência, pecado grave de mentir com uma cara lambida e piedosa quando se sabe que se está mentindo e enganando.

Não é Deus que deve nos obedecer e deixar usar e manipular. Tudo já mostra Sua grandeza, Seu poder e Seu amor. O que Jesus nos manda é que nos amemos como Ele nos ama, que vivamos em comunidades de amor imitando a santíssima Trindade, e que juntos lutemos para banir deste mundo a miséria, a fome, a violência, as guerras e as desigualdades. Não somos nós que devemos dizer a Deus o que Ele deve fazer, Ele já nos falou o que nós devemos fazer: “amai-vos uns aos outros como eu vos amei… Aquilo que Eu fiz, fazei-o também vós…”: Construir o Reino de Deus entre nós através da fraternidade universal, respeitar cada pessoa em seus direitos e originalidade, e conduzir todos à consciência de sua dignidade de filhos de Deus, é isto nossa tarefa, para a qual Deus nos dará sua graça e sua força. Deixemos de tapear o povo, pelo contrário, respeitemos e conscientizemos as pessoas de sua dignidade, capacidade e vocação para que finalmente todos se tornem verdadeiros filhos adultos de Deus.

 

Pe. Lambert Noben – lambertnoben@padresdotrabalho.org.br

Informativo “O precursor”  – Paróquia São João – Conselheiro Lafaiete