Dia das mães – Pe. Lambert Noben

Menu

Dia das mães – Pe. Lambert Noben

adesivo-dia-das-maes-coracao-flores-adesivacaoSer mãe hoje não é fácil. Existia uma época em que crianças eram educados para a obediência e o respeito, e muitas vezes esta educação se fazia com uma certa violência e agressividade; todo mundo obedecia, na escola, na Igreja, no exército, a gente respeitava as autoridades constituídas. Obedecer era uma obrigação, uma virtude que aprendíamos desde criança.

O pequeno obedecia ao grande, o fraco obedecia ao forte, o pobre obedecia ao rico, o escravo obedecia ao capataz, o leigo obedecia ao padre, que obedecia ao bispo, que obedecia ao papa que dizia obedecer a Deus.

Veio 1968, a revolução dos estudantes em Paris, Woodstock nos Estados Unidas, com o slogan; é proibido proibir. Realmente a obediência cega tinha feito muitos estragos; os nazistas que mataram seis milhões de Judeus na segunda guerra mundial falavam que apenas obedeceram às ordens superiores, os militares que torturaram milhares de pessoas na América Latina diziam que apenas executaram ordens superiores.

Obedecer mesmo a uma ordem injusta era considerado virtude que eximia a gente de qualquer responsabilidade, obedecer era sagrado.

De repente se percebeu que obedecer nem é sempre bom e até pecado e crime se obedecemos a uma ordem injusta, e que quem obedece neste caso comete um crime. De lá a proibir proibir é apenas um passo. Hoje castigar uma criança virou crime e a famosa chinelada se tornou agressão e as crianças podem até denunciar os pais na polícia.

É mais do que evidente que se deve evitar toda brutalidade, agressividade e maltrato, só que hoje muitas vezes as crianças e jovens agridam e maltratam os pais, os alunos jogam carteiras na cabeça do professor na sala de aula, pais e educadores tem medo de proibir alguma coisa porque poderia criar traumas no coração dos filhos ou educandos de modo que temos hoje a ditadura dos baixinhos e mais ainda dos adolescentes que muitas vezes não aceitam nenhum limite; aceitam obedecer aos meios de comunicação, aos traficantes, ao bando, mas os pais são antiquados e ultrapassados.

Neste caso é realmente difícil de educar, é lutar contra forças muitas vezes mais poderosos que oferecem prazer, libertinagem, vícios e tudo isso sem nenhuma responsabilidade da parte do jovem. Muitos pais e mães podem apenas rezar e chorar e esperar que a semente semeada com muito amor e muitas lagrimas um dia possa brotar e dar fruto.

Mesmo assim, querida mamãe, neste dia venho desejar te um feliz dia das mães. Sabemos que não é tudo que é perdido, e a sua ternura materna, suas lagrimas e orações devem um dia produzir frutos. Não desiste de ser mãe e continua amando seu filho, sua filha com todo seu amor materno.

Um dia este amor vai frutificar e um dia seu filho, sua filha vai se lembrar que você é a verdadeira amiga, representando Deus que muitas vezes também não é aceita e valorizado non obstante seu imenso amor e sua infinita bondade.

Texto Escrito pelo Pe. Lambert Noben MO – Padres do Trabalho lambertnoben@gmail.com