Outro Evangelho – Pe. Lambert Noben

Menu

Outro Evangelho – Pe. Lambert Noben

Proteína-do-TrigoSenhor, você não tem outro Evangelho? O atual é muito exigente e difícil de colocar em prática. A gente está cansada de levar porrada e não poder reagir e pagar com a mesma moeda. Nossos adversários pensam que nós somos uns fracos, covardes e que podem aproveitar já que nós não podemos reagir e pagar com a mesma moeda. Esta lei do primeiro testamento, “olho por olho, dente por dente” era muito mais certo. Agora este negócio seu de perdoar setenta vezes sete, de levar um tapa na cara e oferecer a outra face, este negócio de oferecer a túnica àquele que já roubou nosso manto, de emprestar nosso dinheiro sem exigir nada de volta, tudo isso está com nada. Nossos inimigos e adversários estão abusando disso pensado que podem nos perseguir a vontade, nos caluniar, nos explorar e que nós ficaremos sorrindo para eles. Você Jesus podia ter inventado um Evangelho que nos manda fazer adoração do santíssimo, fazer romaria ao pai eterno, rezar mil jaculatórios ou mil ave marias que a gente o faria com prazer, mas você foi inventar este negócio de amar nossos inimigos, você não percebe que eles estão abusando disso, condenando injustamente pessoas inocentes colocando os na prisão enquanto eles, os maiores ladrões estão soltos. Eles matam nossos líderes comunitários e nunca aparece um culpado, aqueles que deveriam promover e proteger os pequenos, os pobres, os fracos os exploram e os vendam como se fosse gado, e você quer que nós ficamos mansos, que perdoemos sempre que perdoemos tudo. A gente não poderia de vez em quando usar os mesmos métodos deles é dar o troco com a mesma moeda que eles usam. Creio que seria muito mais eficaz do que este negócio de perdoar sempre.

Meu filho, eu compreendo sua dificuldade, porque eu, Jesus, também passei por tudo isso; foi renegado, acusado injustamente, condenado sem provas, torturado e pregado numa cruz. Mas eu aguentei até o fim porque eu queria provar que o amor é mais forte do que toda a injustiça e qualquer corrupção. Eu queria experimentar tudo isso, juízes safados e corruptos, violência popular daquele que promovi e curei e libertei, traição de meus amigos, ser vendido por um punhado de moedas, porque sabia que vocês iam passar por tudo isso. Sabia que enquanto existe classe dominante, coxinhas, tribunais corruptos dirigidos por juízes iníquos, eu continuarei a sofrer minha paixão até o fim do mundo nos pequenos, pobres e excluídos. O instinto dominador de quem ocupa uma posição de poder é oprimir os pequenos, os mansos, para poder dizer; eu mando é você tem que se sujeitar porque eu sou superior. Eu quero precisamente provar o contrário, provar que quem consegue amar até o fim, sem apelar para a violência, a mentira e a opressão é o maior. A vitória do corrupto e ilusória e passageiro, a vitória final e do amor, da justiça e da bondade, porque Eu Jesus já venci o pecado a opressão e a morte

Texto Escrito pelo Pe. Lambert Noben MO – Padres do Trabalho lambertnoben@gmail.com