A presença feminina na luta contra a violência – Pe. Lambert Noben

Menu

A presença feminina na luta contra a violência – Pe. Lambert Noben

c590p86f2cdfnovsfoyixm7i0-460x300Durante esta quaresma refletimos sobra a violência que desfigura nosso mundo. Ao lado disso percebemos que esta violência tem muito a ver com nosso machismo. Macho quer dominar, quer provar que ele é superior, mais forte, mais inteligente, mais corajoso. A competição é própria do ser humano. No esporte, na política, na convivência queremos sempre competir; eu sou mais forte que você, eu sou mais rico que você, eu sou mais corajoso que você, eu mando em você. Para saber quem é “o mais”, aprendemos a lutar, a competir, a nos enfrentar, a  subjugar o outro e muitas vezes usamos qualquer meio para conseguir ganhar esta competição, mesmo se estes modos de agir não são muito ortodoxos; usamos doping, concorrência enganosa, muitas vezes usamos a força bruta, a agressividade, o jogo sujo e a corrupção. Nosso complexo de inferioridade é tão grande que faremos qualquer coisa para parecer superior, melhor, maior. Tudo isso gera violência, desfigura nosso mundo, gera milhões de expatriados, pobres, doentes, miseráveis, e do outro lado milhões de criminosos e corruptos

A mulher tem nesse mundo uma missão muito importante; em vez de entrar neste mundo macho da competição ela deveria nos ensinar a conviver, conviver valorizando a vida em toda as formas e expressões; a vidão não e feita para competir mas para somar nossos dons e talentos, para juntos construir um mundo de paz e de fraternidade. Eu não preciso ser melhor, mais rico, mais bonito que você, eu preciso somar com você para que juntos possamos ser felizes e conviver em paz e harmonia. Um casal, homem e mulher, unidos no amor, no respeito, na fidelidade e na harmonia, embora bem diferentes podem gerar e educar nova vida, dando cada um o melhor de se. Uma comunidade, formada por pessoas diferentes, mas unidas pelo amor e o respeito podem resolver muitas coisas, cada um contribuindo com aquilo que tem de melhor e de específico, somando com os outros. Um pais unido no respeito e na justiça, sem briga e rivalidade, sem politicagem e corrupção, pode revolver todos seus problemas de pobreza, de doença, de educação. Nisto tudo as mulheres têm uma vocação especial e uma tarefa especifica, porque é no colo delas que se constrói e educa a futura geração, é no seu lar que podemos mudar a história. Eleição não muda as pessoas, não muda os corações, pelo contrário, cria mais ódio, mais corrupção, mais violência. Para mudar um pais, para tirar a competição, e substitui a pela convivência harmoniosa e pacifica, precisamos de você mulher, para educar os corações, para educar os sentimentos de bondade, de harmonia e de fraternidade, e assim construir um mundo de paz realizando assim o projeto do Pai e a missão do Cristo; vocês são todos IRMÃOS E IRMÃS.

Texto Escrito pelo Pe. Lambert Noben MO – Padres do Trabalho lambertnoben@gmail.com