Presidenciáveis – Pe. Lambert Noben

Menu

Presidenciáveis – Pe. Lambert Noben

Reprod-Poa-24H-260Outro dia, para um mísero emprego de 2 salários mínimos, o candidato escolhido no meio de muitos devia submeter se a vários testes; sanidade mental, opiniões políticas para administrar, capacidade profissional. Outro, para poder dirigir um velho fusquinho numa estrada de terra teve que fazer um montão de cursos, testes, exame de rua. Para dirigir uma escola infantil, a professora, tem que ter curso superior e por ai vai………….

E para dirigir uma nação, um pais, para administrar um arsenal atómico, para decidir sobre a vida e a morte de milhões de pessoas numa guerra atómica ou outra, sobre decisões que ameaçam o futuro de milhões de crianças e jovens, qual o teste de sanidade mental e equilíbrio emocional que fazem nossos candidatos a presidente? Por isso que nosso mundo está sendo administrado par débeis mentais, fanáticos, megalómanos, doidos. Basta ter dinheiro e não ter escrúpulos para ganhar eleições. O baixinho Napoleão, para mostrar que era gente,  levou milhares de jovens à morte, a primeira guerra mundial massacrou milhões de jovens, a segunda foram 36 milhões de mortos, a guerra do África do norte já matou outra tanta de pessoas, a fome na África e na América Latina continua matando milhões de crianças e sempre tem um idiota a frente destes matanças, destas guerras idiotas, decidindo a vida de tanta gente,  decidindo como se estivesse brincando de boneca, sem escutar ninguém, sem pedir nem escutar a opinião das pessoas que ele irá sacrificar para satisfazer sua  vaidade, seu orgulho, sua loucura. Hoje ainda estamos à mercê de dois loucos com um arsenal atômico terrível brincando de se ameaçar e desafiar como se fosse um jogo de futebol. Se houver uma guerra, eles estarão protegidos em seus abrigos antiatômicos construídos com o dinheiro do povo e aqueles que eles deveriam proteger estarão sendo exterminados aos montes.

Nós que pedimos exames e testes para tudo, até para o empreguinho mais miserável, quando vamos introduzir testes de sanidade mental, de equilíbrio emocional e afetivo, de ética profissional, de capacidade administrativa e de respeito pela vida humana e do planeta para as candidatos a presidente e a políticos em todos os níveis? Ou será que vamos continuar aceitar   sermos administrados por megalômanos, loucos e desequilibrados mentais sem escrúpulos, pessoas corruptos que só pensam em levar vantagens, mesmo si para isso devem jogar meia humanidade na miséria, na fome, na morte, destruindo toda o planeta para as futuras gerações.

No tempo do processo contra Jesus de Nazaré, um Judeu dizia que é melhor uma pessoa morrer para salvar todo o povo, na Idade Média se justificava a morte de um tirano. Não quero matar ninguém mas eu acho que se um presidente é eleito por sufrágio universal, o mesmo povo que o elegeu (e não alguns deputados mercenários comprados com quantidades enormas de dinheiro) deveriam poder o “deseleger”, tirando seu voto numa votação geral periódica. Se a maioria o elegeu, a maioria deveria também ter o mesmo direito de o destituir.

Texto Escrito pelo Pe. Lambert Noben MO – Padres do Trabalho lambertnoben@gmail.com