Paz é fruto da Justiça

Menu

Paz é fruto da Justiça

A paz parece cada vez mais distante, porque a justiça é cada vez mais injusta. Pelatus perguntou: “O que é a verdade?”. Hoje deveria se perguntar “ o que é a justiça?” Numa sociedade onde os poderosos oprimem os fracos, onde espertesa e safadeza é sinal de êxito econômico e social, onde quem mente mais ganha sempre a parada, onde o opressor e vencedor sempre tem razão e o morto é culpado de todas as faltas, nos perguntamos onde está a justiça. Onde os juizes e desembargadores se contradizem mutuamente, um desmentindo e derrubando a decisão do outro, onde as várias formas de poder não se entendem, onde a economia é baseada no conceito do maior lucro possível a qualquer custo, onde a pessoa humana é um mero elemento de produção descartável e onde os valores morais são considerados atraso, nunca haverá paz. A paz começa no coração de cada pessoa, cada um precisaria fazer uma séria revisão de sua escala de valores, de suas prioridades, porque afinal, a violência no mundo é a soma de cda violência parcial. Assim como o oceano é formado por trilhões de gotas de água, assim a violência no mundo é a soma de milhões de violências individuais.
O mundo tem usado o argumento de combater a violência por uma violência maior, sem perceber que somar violência com mais violência aumenta cada vez mais a violência. Além disso os filmes e meios de comunicação visuais, videogames e outros, enaltecem a violência; mais que algo é violento e mais valor tem. Quanmdo é que nossa razão e inteligência vai superar e educar nossa necessidade dedominar, de autoafirmação, de orgulho e ganância, quando é que vamos domesticar o animal que vive em cada um de nós, porque somos tão ferozes e crueis e temos tanto sadismo ao ponto de sentir prazer em fazer sofrer o outro? Violência entre casais, entre pais e filhos, entre povos e raças, entre adversários políticos e esportivos, entre religiões e filosofias de vida?
Cristo pregou a humildade, a tolerância, a aceitação do diferente, a partilha e a solidariedade, a fraternidade universal, a igualdade fundamental entre cada ser humano, entre homem e mulher. Por que será tão difícil aceitar e viver esta mensagem? Viver e deixar viver, valorizar em vez de explorar, partilhar em vez de acumulhar, dialogar em vez de brigar, respeitar em vez de agredir, acariciar em vez de bater, ajudar em vez de prejudicar, elogiar em vez de criticar, valorizar a verdade em vez da mentira, escolher o bem em vez do mal.
A paz começa em seu coração, se estende a sua família, depois a toda a sociedade até invadir o mundo todo. “Meu caro irmão, olha pra dentro do teu coração, vê se Natal te tornou mais irmao e te ensinou a viver…” Não exija dos outros, comece consigo mesmo, se você não é justo e honesto nas pequenas coisas como você pode exigir que os outros o sejam nas grandes coisas?
Injustiça pequena ou grande sempre será injustiça.

Informativo “O Precursor” Paróquia São João Batista – Ano XIII – Nº 288

Autor: Pe. Lambert Noben – lambernoben@gmail.com