Você é minha

Menu

Você é minha

Todo dia somos confrontados com crimes ditos “passionais”; Namorado mata namorada, marido mata esposa, amante mata amante…….O grande problema está  no “possessivo” : meu, minha. Nós achamos que podemos possuir uma pessoa, que podemos fazer dela nossa propriedade. E esquecemos que não somos donos de ninguém porque o outro não é um objeto de posse, uma coisa que se deixa possuir, mas uma pessoa… Nós dizemos: “minha” mulher, “meu” marido, “meu” filho. Gibran já dizia: “Seus filhos não são seus filhos”. De fato, eles são as pessoas que chamamos à existência, e pelo simples fato de tê-los gerado, assumimos a responsabilidade de conduzi-los à maturidade da melhor maneira possível, mas não somos donos, proprietários deles. Seu cônjuge não é sua posse, mas a pessoa que você prometeu amar, respeitar, promover e valorizar com todas as suas forças com muita amizade e com total fidelidade pelo resto da sua vida.

Parece que muitos homens ainda não sabem lidar com a mulher “gente, pessoa”. Eles estão ainda na idade da pedra, da escravidão, acham que podem fazer a mulher de gato e sapato, a mulher boa para toda serviço, a mulher infantil, sem personalidade, a mulher saco de pancada que pode ser usada e abusada do jeito que ele bem entende e quando ela recusa  ser esta mulher e quer  emancipar se, eles a matam. Ninguém é feito para ser escravo e ninguém pode aceitar ser simples objeto de uso e de posse, ninguém pode abrir mão da sua dignidade.

Ninguém nunca conseguirá forçar uma pessoa a amá-lo, porque amar é uma decisão livre e soberana de cada pessoa. A única maneira de você cativar uma pessoa é amá-la profundamente, sinceramente e gratuitamente. Mais que você quer forçar alguém a amá-lo e mais você suscitará nele repulso e a antipatia, até ódio.

Deus não obriga ninguém a amá-lo, Ele nos deixa livres, apenas nos ama gratuitamente, totalmente, sem exigir nadaem troca. Elenão nos ama porque somos bons ou merecemos, mas sim porque Ele é bom. É assim que nós devemos aprender a amar: sem exigir nada, sem cobrar nada. Cristo já dizia: “Onde tem amor não tem medo, o verdadeiro amor espanta o medo”. Deus faz tudo para que ninguém tenha medo dele, nos oferece em Jesus a plenitude do amor e do perdão, nunca fará mal a ninguém, mesmo se o odiamos e pregamos numa cruz como fizeram os algozes de Jesus, Ele sempre encobrirá nossa maldade com sua misericórdia. Seria tão bom se nos também aprendêssemos a amar as pessoas gratuitamente. Sem exigir nada em troca, sem subjugar, humilhar, explorar o outro, não cobrando nada dele e sim cobrando de nos mesmos, fidelidade ao compromisso assumido e a promessa solenemente feita, às vezes diante de Deus e de toda a comunidade.

 

Pe. Lambert Noben – lambertnoben@gmail.com
Informativo “O precursor”  – Paróquia São João – Conselheiro Lafaiete