Voltar ao Evangelho

Menu

Voltar ao Evangelho

Jesus, durante sua vida terrestre, muitas vezes você foi tentado. Tentação de ganância, do exibir-se e aparecer, a tentação de ser poderoso e ser rei, mas a todas estas tentações você resistiu corajosamente. Além disso, cada grupo do povo queria que você fosse um messias à sua imagem e semelhança: os doutores da lei queriam que você fosse um super-legislador; os fariseus, que você observasse todas as leis e ritos de pureza e purificação; os sacerdotes queriam que você fizesse super-cultos e super-celebrações e a todas estas expectativas-exigências você respondeu com a figura do Messias servidor, humilde, sem poder nem glória.

A sua igreja, que somos todos nós, seu corpo místico, não tem sempre esta mesma atitude e desprendimento, de humildade e de serviço. Durante muitos séculos a Igreja se considerava detentora de um poder político e temporal, competindo com reis e imperadores. Papas organizaram guerras sangrentas contra mouros e muçulmanos; em vez de nos libertar do legalismo, multiplicaram leis, prescrições e proibições; misturamos evangelização com colonialismo. Adoramos exibições de riqueza e mega-shows, dizendo que para Deus nada é bom demais, promovemos uma religião desencarnada como se gente fosse “alma”, sem necessidades físicas. Muitas vezes ficamos ao lado dos ricos e poderosos porque eles sustentam nossas obras, falamos em evangelizar e usamos um catecismo…………

Nós cristãos, corpo místico de Cristo, precisamos nos converter ao Cristo e ao seu Evangelho; ficar sempre ao lado dos marginalizados, dos excluídos, dos pecadores e dos fracos. Chega de evangelizar sem Evangelho, sem encarná-lo em nossa vida e em nossas atitudes. A Igreja deve abrir mão de tudo que não é Evangelho, de tudo que é massificação, manipulação, exibição, riqueza e poder para simplesmente estar servindo ao menor, devolvendo a este sua dignidade, mostrando que ele tem tanto valor, que queremos oferecer-lhe nossa vida, nosso tempo, nosso amor. Você, Cristo, se vestia como todo mundo, viveu no meio dos pobres, vivia em comunidade, sem privilégios. Assim deveriam viver todas as pessoas que se dizem cristãs e que são membros de sua Igreja, de seu corpo místico chamado a continuar Sua missão no mundo de hoje.

 

Pe. Lambert Noben – lambertnoben@gmail.com

Informativo “O precursor”  – Paróquia São João – Conselheiro Lafaiete